segunda-feira, 13 de abril de 2009

Cuidado com o dado

Há que se ter força para transformar o dado em novidade,
E coragem para abrir mão do dado, quando este lhe favorece;
O dado pelo dado é, sobretudo, uma prisão,
E como uma boa prisão tende a domesticar o fardo,
quando este não é dado.

O dado pode ser pago: em prestações, uma forma de escravizar.
No tipo: eu fico famoso, e você que foi atrás do dado, em parte por que estava dado,
Acabou se transformando num saco, domesticado, e com espírito opaco.

Libertai-vos do dado, e buscai-vos, no intangível, o não dado. Tenha a certeza de não ser dado, e de também não ter dado: que tal uma transformação? Uma revolução! Eis o combustível do espírito livre!




Florianópolis, 13/04/09.

Um comentário:

Zé do Trilho disse...

Lembrei das primeiras palavras que proferi no cursinho, discutindo a frase de Pessoa "navegar é preciso, viver não é preciso", com intuito de demonstrar que parece que algumas coisas são dadas, porém é possível encontrar a imprecisão. O intangível se reduz aos dados!