quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Para ler no novo ano

Quisera eu inventar mil palavras, para proferi-las aos ventos com meus mais singelos desejos. Suponho, no entanto, que nenhuma delas conseguisse traduzir o que guardo no peito.

Desejo-te, então,
que mesmo que não ouças minhas palavras
ou tão pouco consiga entendê-las;
desejo-te que sintas aquilo que emano em mim
e tão pouco consigo transpor ao som.

2 comentários:

Hudson disse...

Daqui do exílio mando um "alô"!
Que o novo ano seja repleto de posts!
=]

Zé do Trilho disse...

Em pleno sertão, senti a energia.
Novo ano repleto e completo.