quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Sedução

Assim, de repente,

Formosa você se fez.

Presente, penetrando,

No âmago d’eu !

Sem pedir licença, sem

Respeitar limites,

Desafiando-me a saltar

Numa bela aventura inóspita.

Paraquedista do amor

Em terras ignotas.



- Edmundo Arruda.

5 comentários:

Poeta do Exílio disse...

Porra.

Anônimo disse...

Explique-se, poeta: ¨porra¨?

Luccas.

Poeta do Exílio disse...

Poema bom!

Luccas Neves Stangler. disse...

Cada um expressa-se da maneira que pode, porra hahaaahah

Poeta do Exílio disse...

É verdade. Esse "porra" poderia, tranquilamente, significar o um antônimo. Isso é o que chamo de língua viva... vivíssima, como diria José Dias, o agregado.