quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Vê, agora?

- E, então?

- E, então, o que?

- Ali, logo adiante, me diga senhor, o que está vendo?

- Nada.

- Nada?

- É, nada.

- Como nada?

- Nada porra! Não tem nada ali! Não tem nada aqui! Só areia para todos os lados... estamos perdidos, oh céus!

- Pois eu vejo muitas coisas ali adiante...

- Você está louco homem, não há nada ali! Só o maldito deserto! O maldito e seco deserto! E foi você quem nos trouxe aqui, a culpa é sua!

- Admito meu caro, que a culpa é minha, mas veja bem, você não vê, ali adiante, os tigres, o enorme Dragão, a moça bela com longos cabelos e olhos de diamantes...?

- Não. Tudo que vejo é um enorme nada. Um grande mar bege que no horizonte se uni a outro enorme oceano azulado. Não há nada além disso.

- Pobre coitado, o Sol já deve estar afetando suas idéias. Tudo bem, mas vai me dizer que você não vê o Palácio de Cristal, com o seu monarca na varanda? Ele está nos olhando nesse exato momento.

- Não, meu amigo, ele não está! Você está louco!

- Isso é porque você só olha com os olhos.

- E com o que mais deveria olhar?!

- Ora, não é obvio. Com os ouvidos, com os pelos do corpo arrepiados, com o coração, com as sensações... coisas assim.

- Meu chapa, você está mais louco do que eu imaginava! Mas não se preocupe, logo o Sol irá nos desidratar por completo.

- Louco é você!

- HAHAHA, essa é boa! Eu, louco?! Diante das tamanhas besteiras que você me fala! Baseado em que você explicaria minha loucura?!

- Veja bem, meu jovem, essa questão é simples, tente não se espantar. Esse sonho é meu, logo o louco é você, que nem sequer existe!

2 comentários:

Luccas Neves Stangler. disse...

A nossa visão está prejudicada ou nós prejudicamos a visão?

Vemos aquilo que queremos ver ou vemos aquilo que querem que vejamos?

Abraço!

Tyche Fortuna disse...

Ou acabamos por delegar demasiada importância a visão que só é possível diante da luz a qual quando muito forte cega? Xs orientais parecem estar mais atentos a essas problemáticas. Todavia, o que se vê ainda parece permanecer invisível.

Muito bom o texto!

Abraços!
...a roda da Fortuna volta a girar