segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

E agora, Matilde?

E agora, Matilde?
A chuva caiu;
A casa caiu.
O morro desceu
O Décio morreu.
Morreu o seu filho
Morreu seu marido
O bosque, já não é florido;
Já não há mais bosque
Nem mais nos quadrinhos
Pois livros não tem.
O sono não vem.
Se não há mais cama
Onde haverá calma?
Somente um vazio na alma!
E nada mais há de haver.
E agora, Matilde?
Você que está velha
Você que é humilde;
E agora, Matilde?
Quer acordar,
Não quer nem lembrar;
O que você quer?
Matilde, você nem mais é mulher!
Faz parte de um número.
Você é um numero.
Você é lamento.
É toda sofrimento
É a cara da enxurrada,
Que enxurrou o firmamento.






Texto: Gabriel Thiesen - um amigo talentoso.

Um comentário:

gregório disse...

porra, fico muito bom