sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Rio de Janeiro, gosto de você...

Teve um rio de lama como lava de vulcão

Inundação digna de tsunami

Árvore arrancada com fórça de furacão

Casa desabada como terremoto faz

Pilhas de corpos feito guerra...

...e era gente de paz

Migliaccio - JB 13/01/2011

5 comentários:

Cevador de solidões disse...

Platão remete a ideia de que os injustos se passam por justos, e os justos por injustos. O injusto é ovacionado, reconhecido, pois nada é mais injusto do que a falsa justiça.Já o justo é açoitado, massacrado, quase que exterminado, é literalmente posto em prova, se passando por injusto para provar sua justeza. No final das contas, se coloca os dois em confronto, o injusto e o justo, e pesa qual é mais feliz ou tem uma consciência que proporcione a tal felicidade. Eis o que acontece no Rio de Janeiro, alguém está sendo posto a prova.

Luccas Neves Stangler. disse...

Cevador de solidões falando com autoridade sobre Platão? Agora vejo que as coisas - às vezes - mudam. Alguém muito subversivo, tal qual Sócrates, é que deve ter indicado ''A república'' para você!

Poeta do Exílio disse...

Só se esse sócrates fosse gaudério!

Luccas Neves Stangler. disse...

Sócrates à moda Gaudério fronteiriço! hahahahahahaha

Cevador de solidões disse...

Quem me indicou, é um amigo de Bakunin, uma pessoa que talvez renegue um dos pilares que eu julgo importante para uma sociedade idealizável, hierarquia, boy.