sábado, 11 de julho de 2009

Ao sorriso dos que muito me ensinam

Nem sempre traz alegria
Dotado de energia
Acalma e transparece
E sentimentos reflete
O sorriso das “crianças sem futuro”
Que no passado carregam
A incerteza do mundo lá fora
E no presente desfrutam o sorriso de ser criança agora.

E o sorrir não precisa ser alegre
Pois carrega esperança
Esperança nova é por onde eu vagueio
Comunidade escondida
Da Floripa exibida
Localizada nos “escombros”
Na cidade do falso encanto.

Bela é a experiência
Do professor aprendiz
Quando o sorriso da criança
Desmorona a matéria escrita com giz.

Um comentário:

Maria Bonita disse...

Sorriso maroto, sorriso inocente, é sorriso de criança. Que enobrece e afaga o coração daquele que o fita.

É poeta! Olha lá!
Um sorriso radiante,
e um olhar cintilante
acolhendo tuas palavras!